Véio: A Imaginação da Madeira

Local/Place Itaú Cultural, São Paulo Ano/Year 2018
Realização/Realization Itaú Cultural Colaboração/Collaboration Cristina Souto Arquitetura/Architecture Adriana Yazbek Fotos/Photos Andrés Otero

Essa mostra no Itaú Cultural apresentou uma parte importante da obra do escultor sergipano Véio, com curadoria de Agnaldo Farias e Carlos Augusto Calil. A vasta obra é composta por esculturas em madeira em tamanhos variados, desde palitos de fósforos até troncos imensos de madeira. Uma marca forte das peças é o uso de cores intensas e chapadas. Tal característica foi ponto de partida para a criação da expografia de Adriana Yazbek, que criou salas coloridas para dialogar com os objetos.

A luz desempenhou papel fundamental no tratamento das cores, tanto das peças quanto dos ambientes. Lâmpadas halógenas foram escolhidas ao invés do LED, por apresentarem melhor fidelidade na renderização das cores. A distribuição luminosa foi toda balanceada para que as superfícies construídas das salas formassem planos de fundo harmoniosos para a visualização das esculturas.

This exhibit at Itaú Cultural featured an important part of the work of sculptor Véio, from Sergipe, Brazil, curated by Agnaldo Farias and Carlos Augusto Calil. The vast work consists of wood carvings in varying sizes, from matchsticks to huge wooden logs. A strong mark of the pieces is the use of intense and flat colors. This feature was the starting point for the creation of Adriana Yazbek’s expography, which created colorful rooms to dialogue with objects.

Light played a key role in the color treatment of both artworks and environments. Halogen lamps were chosen over LEDs, as they have better fidelity in color rendering. The light distribution was balanced so that the built surfaces of the rooms formed harmonious backgrounds for viewing the sculptures.